QUARTA-FEIRA, 23 DE AGOSTO DE 2017

sol

No Sol da Caparica

A música mais ouvida no mundo também brilha

O Hip hop é uma das coordenadas de luxo do complexo mapa musical de que se faz este festival que pode ter uma só língua, mas que tem muitas cores.

ler mais
pais

João Pedro Pais

Comemora 20 anos de carreira

Com 2 concertos e um disco

ler mais
sol

O SOL BRILHA MAIS NA COSTA DA CAPARICA

ESTÁ A CHEGAR E PROMETE!

Aproximamo-nos da sua quarta edição, e podemos afirmar com plena convicção que fizemos uma boa escolha, quando decidimos criar este festival que promove a música de expressão portuguesa, ao mesmo tempo que estimula o desenvolvimento económico da Cost

ler mais
moon

1755: Novo álbum dos Moonspell

É totalmente cantado em português

Conta com a participação do fadista Paulo Bragança

ler mais
am

Ana Moura hoje no SBSR

Homenageia Prince

Com The New Power Generation

ler mais

ra RAVENEYE ABREM CONCERTO DE BUSH
DIA 11 DE OUTUBRO NO COLISEU DE LISBOA
BILHETES À VENDA NOS LOCAIS HABITUAIS.
o O HOMEM QUE MORDEU O CÃO
20 anos
No Coliseu de Lisboa.
jp Jorge Palma celebra 45 anos de carreira
Nos Coliseus
Em Outubro com Orquestra Clássica do Centro 5 Outubro :: Coliseu de Lisboa 7 Outubro :: Coliseu do Porto.
cafe CAFE REPUBLICA
Estreia do Single
CAFE REPUBLICA, “UM” TALENTO EM ESTADO PURO.



kong KONG: ILHA DA CAVEIRA

Sinopse
Uma equipa de exploradores reúne-se na missão de explorar uma ilha desconhecida do Pacífico – com tanto de encantadora como de traiçoeira – alheios ao facto de estarem a entrar no território do mítico Kong.
Data de estreia: 09 Março 2017
118 MIN
M/12
GB
2017
sao SÃO JORGE

Sinopse
Jorge, boxeur, desempregado, corre o risco de perder o seu filho e a sua mulher, quando esta decide regressar ao Brasil. Em desespero, aceita trabalho numa empresa de cobranças difíceis. Ironicamente, Jorge passa a intimidar aqueles que, como ele, se veem a braços com dívidas que não conseguem pagar. Impele-o a fé numa vida melhor para a sua família, mesmo quando se vê empurrado para um caminho de marginalidade.
Data de estreia: 09 Março 2017
depeche Spirit (Deluxe Edition)

Os Depeche Mode, banda icónica, pioneira musical e multiplatinada, lançaram o primeiro avanço do novo álbum “Spirit“,”Where’s The Revolution”. O tema, sobre o qual os Depeche Mode falaram durante a sua conferência de imprensa em Milão no passado Outono, constitui a primeira nova música da banda em quatro anos e é o primeiro exemplo retirado do seu novo 14.º álbum de estúdio, Spirit, que com lançamento mundial a 17 de Março.
Spirit assinala a primeira colaboração da banda com o produtor James Ford dos Simian Mobile Disco (que já trabalhou com bandas como Foals, Florence & The Machine, Arctic Monkeys) e vem no seguimento do álbum da banda que foi um grande sucesso em 2013, Delta Machine, com estreia no n.º 1 das tabelas em 12 países. As primeiras audições do álbum já conquistaram a crítica, tendo a Q Magazine descrito Spirit como: “o álbum mais enérgico dos Depeche Mode desde há muitos anos”.
A banda passa este ano por Portugal no festival NOS Alive a 8 de Julho.
ate Até Pensei Que Fosse Minha

O novo álbum de António Zambujo, “Até pensei que fosse minha”, composto apenas por canções de Chico Buarque. “Do álbum fazem parte algumas das canções mais emblemáticas do percurso de Chico Buarque, como ‘Cálice’, ‘Valsinha’, ‘João e Maria’, ‘Tanto Mar’ ou ‘Geni e o Zepelim’”. Chico Buarque, de 72 anos, gravou com António Zambujo uma versão da canção “Joana Francesa”, mas esta não foi única participação no álbum. A cantora brasileira Roberta Sá participa no tema “Sem fantasia” e a fadista Carminho gravou com Zambujo “O meu amor”.

cora Coração Mais Que Perfeito

Sérgio Godinho (Autor)
Amor imperfeito que se sublima na perfeição do diamante.
Depois de "Vidadupla", que reúne um conjunto de contos, a Quetzal publica o primeiro romance do popular cantor e compositor, agudo cronista e bardo dos últimos quarenta anos portugueses.
Os insondáveis e pedregosos caminhos do coração, amores imperfeitos que se sublimam até à perfeição e pureza do diamante.
rapariga A Rapariga no Comboio

SINOPSE
O êxito de vendas mais rápido de sempre.
O livro que vai mudar para sempre o modo como vemos a vida dos outros.
Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.
Até que um dia...
Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada.
Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.
CRÍTICAS DE IMPRENSA
«A Rapariga no Comboio é o mais envolvente romance com um narrador inconfiável desde Em Parte Incerta. Este livro vai deixar os seus leitores arrepiados.»
New York Times
tentativas TENTATIVAS PARA MATAR O AMOR

TEATRO › ESPETÁCULOS
3 mar a 16 abr/17
Quarta a sábado, às 21h30 | domingo, às 16h
Teatro Aberto/Companhia Mascarenhas Martins. Marta Figueiredo, texto; Levi Martins e Maria Mascarenhas, encenação; Cleia Almeida, Eurico Lopes e Tomás Alves, interpretação.
Ana e Jaime conhecem-se há mais de dez anos. Amam-se mas não estão juntos. As suas vidas não combinam, não encaixam. Tentam então matar o amor. Sem amor as suas vidas tornar-se-iam certamente mais eficientes, mais adequadas às exigências do quotidiano. Porém, entre viagens, trabalho, contas por pagar, rendas, recordações, encontros e desencontros, o que sentem um pelo outro teima em voltar a despontar.
Tentativas para matar o amor, de Marta Figueiredo, texto vencedor do Grande Prémio de Teatro Português SPAutores/Teatro Aberto 2015, retrata uma relação que tem dificuldade em sobreviver à vida contemporânea. Uma das questões centrais com que nos confronta deve ser pensada e sentida numa dimensão política: será que o mundo que criámos não contempla espaço nem tempo para o amor?
converas CONVERSAS OUVIDAS POR MERO ACASO

Lisboa 2017 - Capital Ibero-americana de Cultura
TEATRO › ESPETÁCULOS
6 a 12 mar/17

SLTM / Nova Companhia. A partir de Luis Cano; Teresa Sobral, encenação; Adriano Carvalho, Álvaro Correia, Isabel Aboim Inglez, Jorge Fernandes, Martim Pedroso, Miguel Sobral Curado e Miguel Damião, interpretação.

Depois de Trocava a minha fama por uma caneca de cerveja, onde se colocavam algumas das mais célebres personagens de Shakespeare a viver nos dias de hoje, a atriz e encenadora Teresa Sobral regressa ao São Luiz com um espetáculo composto por cinco peças curtas (Caranguejos; Canção do Cemitério; O Mais Formoso dos Animais Domésticos; A Forma Perfeita; Conversas Ouvidas por Acaso num Comboio e Niños) e um poema do autor argentino Luis Cano. Em palco, sete atores interpretam “poetas miseráveis”, marginais, numa estação de comboios desativada e perdida algures na cidade.
Imagens ao vivo por Isabel Aboim Inglez.

SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL - TEATRO-ESTÚDIO MÁRIO VIEGAS
TEATROS
Largo do Picadeiro
1200-330 Lisboa
Telefone 213 257 650

Visite-nos no FacebookVisite-nos no Twitter

Entrevista

Civic

Entrevista com CIVIC


ler mais

Votação

Acreditas nas aparições de FATIMA ?!
e concordas com a Canonização dos pastorinhos JACINTA e FRANCISCO
SIM
61%
NÂO
23%
TENHO DUVIDAS
16%